Crescendo como Saumensch

Resenha | Legend

quarta-feira, maio 18, 2016 Julia Pinheiro 0 Comments


Legend é o primeiro livro da Trilogia Legend escrito pela chinesa Marie Lu e publicado aqui no Brasil em 2014 pela Rocco Jovens Leitores ( apesar do livro estar na gringa desde 2011 - porque demoraram tanto pra publicar? D: ). O livro tem 252 páginas - bem fininho - amareladas com uns detalhes meio acinzentados nas pontas.  A margem é pequena e a fonte é media, mas nada disso me incomodou. Na tem um pouco de relevo sabe? E a capa por dentro é amarela. Enfim, um ótimo trabalho se não fosse o pequeno defeito que alguns dos livros da Rocco tem de soltar com muita facilidade a capa - um tiro no coração.


O mundo distópico é tenso: uma grande inundação tomou conta do mundo, desaparecendo com muitas cidades e diminuindo ainda mais a oferta de terra para os sobreviventes. No Estados Unidos a costa leste foi muito prejudicada e resolveu marchar para o oeste por terras. O oeste, já com muita gente abrigada, barrou a passagem. E assim os EUA foram divididos ao meio entre as Colônias ao leste e a República, um governo fascista, militar, opressor e controlador das mídias, que é onde se passa a história.  


A história é narrada em primeira pessoa alternando dois pontos de vista: o de Day e o de June
June é a gênio prodígio da República. Treinada para ser uma militar e servir seu governante o Primeiro Eleitor.
Day é o criminoso mais procurado da República. Ele não era para estar vivo. 
 June busca vingança.
Day busca salvar sua família.


Vindo de mundos tão diferentes seus caminhos se cruzam quando o irmão mais velho de June é morto em serviço por Day durante uma invasão deste à um hospital para tentar roubar uma cura para o irmão. A Comandante do falecido irmão de June vê o rancor e a genialidade da menina como uma oportunidade de instiga-la à procurar pelo assassino - Day - e conseguir  vingar seu irmão. June, domada pela raiva, aceita o desafio, e assim vai às ruas disfarçada, em busca de alguma pista.

E assim, nas ruas, sem saber quem é quem, os dois se encontram. E enquanto Day vive seus dramas pessoais e você vai conhecendo mais o ser humano por trás das atitudes demonizadas pela República, June vai conhecendo uma nova realidade do seu país: a da pobreza, a da fome, da desesperança e das doenças, onde cada dia sobreviver é um milagre.

No meio desse mundo tão novo, tão terrível e diferente, June começa a levantar questões, que deveriam permanecer adormecidas para o próprio bem dela, sobre a República, e se envolve cada vez mais com o Menino misterioso que a ajuda nas ruas, enquanto continua sem esperanças com sua missão, sem saber que todas as respostas estão diante dos seus olhos. 

Nunca tinha lido um livro com dois pontos de vista tão diferentes! E isso foi genial! Só amplia ainda mais sua visão sobre aquele mundo e as situações, e vai te colocando em diferentes conflitos sobre o que é o certo e o errado, e o quanto há história por trás de cada mínima ação. 
O livro tem uma narrativa com um ótimo ritmo. Eu devorei o livro! É impossível não ficar ansioso pra descobrir o desfecho dessa busca, afinal, June é muito determinada e racional, mas sem saber acaba se envolvendo Day como sendo um menino simpático das ruas que vive com muito pouco e ainda assim lhe ofereceu ajuda. Como June reagirá quando descobrir quem ele realmente é? O quanto vale uma vingança? O qual fiel vale sua fidelidade à República? E o quão real é a República?


Além do mundo distópico maravilhosamente bem construído o que mais amei foi: sem mimimi! Muitos livros acabam puxando demais para o romance enquanto esse livro temos dois personagens com as próprias motivações e prioridades, e que são muito fiéis a quem são de verdade.

Tem romance? Sim. Leve e natural. Tem cenas intensas de ação muito bem descritas - sem palavras. Tem segredos e descobertas que vão abalar seu mundo e fazer você ver tudo com olhos diferentes, e fazer seu estômago revirar de raiva. Tem reviravoltas inesperadas! Sabe quando você pensa: não, isso não pode acontecer, né? Mas Marie Lu mostra que pode sim! E ela vai te destroçar!

Se você ama distopia, ação, segredos horrendos sendo revelados e reviravoltas de fazer perder a respiração, esse livro é pra você.



Se você quiser se rebelar contra o sistema, faça-o de dentro dele.

Porque cada dia significa novas vinte e quatro horas. Cada dia quer dizer que tudo é possível de novo. Você pode aproveitar cada instante, pode morrer num instante, e tudo se resume em um dia após o outro. E aí você tenta caminhar sob a luz.


Alguém ai já conhecia essa trilogia arrasadora?

You Might Also Like

0 comentários

Flickr Images