Crescendo como Saumensch

Eu sou o mensageiro

segunda-feira, maio 11, 2015 Julia Pinheiro 2 Comments


Eu Sou o Mensageiro escrito por Markus Zuzak, o mesmo escritor de A Menina que Roubava Livros, publicado em 2007 aqui no Brasil pela Intrínseca. O livro é bem fino, tem 315 páginas, e é dividido em cinco partes, cada uma com treze capítulos geralmente bem curtos. Cada parte representa um naipe do baralho ( a parte cinco é o curinga ) e cada capítulo é um número/letra de uma carta.


Toda essa relação com as cartas na divisão do livro não é aleatória, e sim pela história girar em torno de uma em particular: um Ás de ouros, com uma mensagem bem estranha que chega anonimamente nas mãos de Ed Kennedy depois dele ter evitado um assalto à um banco. Coincidência ou não com o tal assalto, depois de conversar com seus amigos sobre o possível significado da mensagem, acabam chegando a uma conclusão: alguma coisa vai acontecer nesses endereços, e Ed é o escolhido para ajeitar as coisas.


Ninguém sabe o porque dessa escolha. Mesmo Ed tendo evitado um assalto, ainda é um taxista sem nenhuma ambição, perspectiva, azar no amor e na vida, alguém que ninguém nunca esperou alguma coisa. E por ele ter se acostumado com a mesmice a inércia de sua vida demora um bom tempo até enfim se posicionar diante dessa nova missão de "entregar mensagens".


É muito engraçado como a gente vê o crescimento do Ed e como ele tem uma sensibilidade aguçada para saber exatamente qual tipo de mensagem cada pessoa precisa. As vezes a mensagem é muito simples, e que causam um efeito arrasador na vida das pessoas envolvidas, e outras muito difíceis e carregadas de conflitos internos. Tudo é feito da forma mais discreta possível, muitas vezes sem ele nem mostrar seu rosto. 


No final do livro você percebe que toda a história não passou de uma metáfora, onde a mensagem que fica é que qualquer um pode ser responsável por grandes mudanças na vida das pessoas através de pequenos atos, e que cada pequeno ato de bondade que é feito ecoa na vida do Ed de uma maneira sútil e transformadora, mudando seus horizontes e perspectivas, quando ele percebe que uma vida de mesmice não é mais suficiente, quando enfim ele percebe sua pequena, porém não insignificante, importância diante do mundo.


O livro tem a característica típica da escrita simples, sem rodeios, mas ainda assim tudo é descrito e visto com uma sensibilidade incrível, quando os detalhes não esta na discrição da cor dos olhos, mas sim na intensidade deles e isso transforma um enredo simples em algo complexo, cheio de emoção e profundidade. A cada obstáculo e a cada mensagem do Ed a gente percebe que não é só ele que cresce, ou as pessoas em volta, mas a gente também. Foi um livro que me prendeu desde a primeira palavra e que me cativou a cada página ainda mais. 


Chorei de emoção, de tristeza, de desespero, ri de alívio e de felicidade. A cada mensagem era um novo mundo. É o típico de livro que não da para se descrever a história, porque o mais importante é o jeito que as coisas acontecem e como os personagens lidam com elas, e não as coisas em si. E o bonito das coisas que estão escritas, não é na complexidade do raciocínio e das palavras, mas sim na simplicidade. O livro se tornou um dos meus favoritos e é o típico de livro que você consegue ler em um dia e que por mais simples que sejam as ações elas são tão cheias de emoção e sentimento que é impossível você não se arrepiar. Acho que nunca tive tantos trechos favoritos em um livro.


Trechos favoritos:

"Eu não sabia que as palavras pesavam tanto."

"Só numa sociedade doente mesmo para se condenar alguém por ler muitos livros."

"Não se trata de palavras. O negócio aqui é outro: luzinhas brilhantes e pequenas coisas que são grandes coisas."

"...as grandes coisas são sempre coisas pequenas que percebemos."

"Às vezes as pessoas são bonitas. Não pela aparência física. Nem pelo que dizem. Só pelo que são."

"Vou ter que fazer muito por merecer estar bem um dia."

"...o cara precisava de vida em sua vida."

"É bacana emergir das mentiras."

"Prefiro correr atrás do sol a esperar que ele venha a incidir sobre mim."

"...é a pessoa que conta, não o lugar [...] Se um dia eu sair deste lugar...Vou tentar primeiro ser uma pessoa melhor aqui."

"É inevitável como a verdade pode ser brutal às vezes. Só dá para admira-la. Geralmente passamos a vida acreditando em nós mesmos. 'Eu to bem', dizemos, 'Tá tudo bem'. Mas as vezes a verdade pega no pé e não tem santo que faça desgrudar. É aí que percebemos que às vezes ela nem chega a ser uma resposta, mas sim uma pergunta. Mesmo agora, estou aqui pensando até que ponto minha vida é convincente."


A cada livro que eu leio do Markus Zuzak mas me apaixono pela sua escrita  Espero que tenham gostado da resenha e que tenha despertado o interesse em quem não conhecia os outros livros dele ( que eu super indico ).

You Might Also Like

2 comentários

  1. Aaaaa eu to louca pra ler esse livro. Cada resenha que eu leio é melhor do que a outra,e ele já está na minha lista de COMPRAREI! Beijão!

    Eu.Nomadiando

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que minha resenha tenha contribuído pela sua decisão de compra, vale super a pena!

      Beijos :*

      Excluir

Flickr Images