Crescendo como Saumensch

Maze Runner: Correr ou Morrer

quarta-feira, outubro 22, 2014 Julia Pinheiro 2 Comments


Mazze Runner: Correr ou Morrer é o primeiro livro de uma trilogia de mesmo nome escrito por James Dashner publicado no Brasil pela primeira vez em 2010 pela editora V&R. O livro tem 426 páginas amareladas, e uma estrutura, na minha opinião, mais mole do que estou acostumada, lembrando até um pouco as edições paperback em inglês, porém ainda com mais qualidade. Essa minha edição comprei próximo da data de estréia do filme e ela acabou vindo com uma jacket do filme, de um papel de excelente qualidade por sinal ( vide foto abaixo ).


A história começa com Thomas preso em uma caixa totalmente escura que se locomove para cima, como um elevador, sem ter nenhuma outra lembrança de sua vida além do próprio nome. Quando a caixa finalmente para ele é recebido por um bando de meninos em um local muito estranho, cercado de paredes gigantescas que os meninos chamam de Clareira. 


Nesse local  vive toda uma sociedade super organizada de meninos, e apenas meninos, onde todos tem sua função para manter tudo funcionando e garantir a proteção e sobrevivência de todos. O livro é narrado em terceira pessoa porém sempre seguindo apenas a perspectiva do Thomas, e por ele ficar meio desnorteado no começo, isso faz da narrativa ser um pouco vaga e demorar um pouco até que o leitor compreenda a situação e tenha respostas.


Adiantando um pouco: as respostas que a gente recebe não são muitas, apenas o básico. As paredes que cercam a Clareira na verdade é o começo de um labirinto gigantesco, e a sociedade que vive na Clareira vivem para o labirinto, pois todo mês, no mesmo dia, um novo garoto chega, e todos eles ficam na mesma situação: presos nesse lugar e sem nenhuma lembrança. A esperança de todos é que a saída daquele lugar esteja em algum lugar do labirinto.


E para tentar descobrir a saída do labirinto há uma função específica na clareira, que são os chamados Corredores. Todos os dias de manhã eles saem para mapear o labirinto a anos, isso porque a noite o labirinto se fecha, e as paredes mudam de lugar, e monstros terríveis passam a rondar o labirinto com mais intensidade. E por mais terrível que essa função seja, por um motivo desconhecido, Thomas sente que seu destino é ser um Corredor.


Enquanto Thomas vai conhecendo as pessoas e o funcionamento na Clareira, as coisas dentro de seu funcionamento começam a mudar, os monstros do labirinto passam a aparecer durante o dia, e o pior de tudo: a caixa chega mais cedo, menos de uma semana depois, e quem vem, não é um garoto, e sim uma menina com um papel na mão dizendo que ela é a última, e suas únicas palavras são: Tudo vai mudar.

E tudo muda, e agora a pressão pra achar uma saída só aumenta junto com a raiva ainda maior dos Criadores, seja quem for que os mandaram para lá.


O livro é do gênero distópico, e o diferencial dele é que geralmente logo de cara você já é apresentada a sociedade distópica do livro, enquanto nesse você sabe tanto quanto os personagens, que para não dizer que não é nada, é muito pouco, e pra mim foi isso que mais prende na narrativa: a urgência de ver eles achando uma saída para ver quem os mandou para esse lugar e por que, e assim, conhecer a sociedade distópica em questão. Porque a narrativa em si é bem simples, não tem nada muito diferenciado não, e apesar da angústia da situação dos garotos ainda da para dar umas risadas.


Tenho mesmo é grandes expectativas com o segundo volume da trilogia, pois a maioria das perguntas fica sem respostas e a sociedade distópica do livro ainda é um mistério, ou seja, mais cliff hanger. Minha opinião sobre o livro também ficou um pouco sem valor por eu ter visto o filme primeiro, então ainda não tenho exatamente uma opinião concreta se eu amei o livro ou apenas curti, vou esperar ler o segundo para me decidir...


Trechos favoritos:
"Mas mesmo uma falsa esperança era melhor do que nenhuma."

"- Mas que droga, estou com medo
- Mas que droga, você é humano. Então tem de estar com medo."

"Às vezes saber é uma droga."

"Às vezes não prestamos atenção nas coisas que não acreditamos que possam acontecer."

"Se ficar preguiçoso, você fica triste. Começa a entregar os pontos. Simples assim."

"E era ainda pior pensar que se até mesmo conseguisse obter as respostas, não saberia se estaria obtendo a verdade. "



Alguém ai já tinha lido?

You Might Also Like

2 comentários

  1. Eu ADOREI esse livro. Tinha grandes expectativas antes de ler, e acho que alcançou o hype. No começo da história não estava tão envolvida porque li em inglês - eles têm um "dialeto" estranho na clareira, né? Depois que cheguei à página 100, porém, comecei a ficar curiosa e precisava das respostas (QUE ELE NÃO REVELOU, combinemos aushaus). Ainda não li o segundo, porque espero bastante dele, assim como você. O que você achou do filme? Ainda não assisti...
    Beijos!
    fatflyingpig.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, esse dialeto demora até se acostumar até em português mesmo ahahahha

      Também fiquei com bastante raiva por conta dessas respostas não reveladas eheheheheh

      Eu gostei bastante do filme mas certas coisas não acontecem do mesmo jeito que do livro, mas é bem tenso. Inclusive acredito que só não senti muita graça nesse livro porque já tinha visto o filme a antes, mas enfim, espero que o segundo livro também me traga respostas eheh

      Beijos

      Excluir

Flickr Images