Crescendo como Saumensch

Divergente

sexta-feira, abril 18, 2014 Julia Pinheiro 2 Comments



Divergente é o primeiro livro da trilogia de mesmo nome, escrito por Veronica Roth e publicado aqui no Brasil em 2012 pela Editora Rocco. O livro conta com 502 páginas amareladas e com uma diagramação muito boa.


O livro é do gênero distopia e se passa em uma Chicago futurista onde a sociedade foi dividida em 5 facções que procuravam acabar com as qualidades que julgavam ser responsáveis pela desordem do mundo. As facções eram: Amizade ( os que culpavam a agressividade ), Erudição ( os que culpavam a ignorância ), Franqueza ( os que culpavam a duplicidade ), Abnegação (os que culpavam o egoísmo ) e a Audácia ( os que culpavam a covardia ).

Nessa sociedade aos 16 anos você tem a opção de escolher sua facção ( podendo mudar de facção ou permanecer na que você nasceu ), e para isso é feito um teste de aptidão, onde nele se revela em qual das cinco facções você esta mais apto a viver, pois uma vez que a escolha é feita, você não pode mudar de ideia, e vai ter de viver sob as regras e costumes da facção escolhida, abandonando todas as outras.



A protagonista dessa história é Beatrice, uma garota que acabou de fazer 16 anos e mora com os pais e o irmão de mesma idade que ela, na Abnegação, porém a vida simples e cheia de repreensões e regras que ela leva não a satisfaz. É quando, no teste de aptidão, acontece um erro, e ela descobre que ela tem aptidão para mais de uma facção ( Erudição, Abnegação e Audácia ), mas isso é perigoso, ninguém pode saber desse resultado. Eles chamam isso de Divergente.

Assim ela é obrigada a escolher entre sua liberdade e sua família.



Beatrice acaba escolhendo ir para Audácia, uma das facções mais mal vistas por conta dos seus audaciosos componentes. Sua função é proteger a cidade. Do que? Não se sabe. Mas eles são a única facção que possui armas e que aprende a lutar, e a que possui uma das mais difíceis iniciações.



Para se tornar um membro efetivo de uma facção você deve passar por uma iniciação, que inclui uma série de atividades próprias para cada uma das cinco que te ajudam a se adaptar e assim tornar-se um membro efetivo. No complexo da Audácia essa iniciação envolve preparamento físico ( como aprender a atirar e a luta corporal ), mental e emocional, e durante todo o livro nós acompanhamos esse processo com a protagonista, que tem de se adaptar a sua nova vida e novos costumes, e tem que estar disposta a dar sua vida no treinamento para desfrutar dessa nova liberdade.


O perigo de ser Divergente? Eu descobri nos primeiros momentos dos livros, não é tão difícil de se deduzir, mas ele ,na verdade, só é revelado no final do livro. 

Mas só fala sobre a iniciação? Não é só sobre a iniciação, é sobre uma garota que esta desfrutando de várias coisas pela primeira vez na vida, como ter amigos, como gostar de alguém, como poder fazer perguntas. É incrível acompanhar o desabrochar de Tris ( Beatrice ) durante a história e ver suas relações pessoais se estreitando, e entender seus auto conflitos sobre ser corajosa e ser altruísta. Fora a relação dela com seu par romântico e as partes de ação que são de acelerar o coração de qualquer um e nos deixar eufóricos! Eu não dei uma pausa durante toda a leitura. 



É um livro que te prende em cada palavra. Eu li em uma madrugada com o coração na boca! A leitura corre rápido e leve, me deixando eufórica. Eu conseguia sentir tudo que era descrito, não sei se isso se deu pela minha identificação com a personalidade da protagonista ( já que é ela que narra a história em primeira pessoa ), mas mesmo assim, a narrativa é incrível. Assim que terminei fiquei enlouquecida para comprar o outro. Foi um dos melhores livros que eu já li. 

Achei que a resenha ficou grande, mas isso ocorreu por conta de:
1 : Eu ter amado tanto o livro, mas tanto, mas tanto, mas tanto, mas tanto, ... , mas tanto que eu simplesmente não consigo descrever o quanto eu o amei em palavras.  ( Esse livro influenciou tanto a minha vida que eu não consigo sonhar, desenhar, pensar e ouvir ( a trilha sonora ) outra coisa a não ser  relacionada a Divergente )

 2 : Pelo fato de que em livros distópicos sempre acho importante fazer uma crítica à sociedade ( esse é um dos motivos pelos quais eu amo distopia, pois essa é uma das suas funções ) , porém, acho que quem não percebe ,como eu percebi, o perigo de ser divergente e o objetivo real das facções no começo da história não consegue fazer nenhuma crítica a sociedade antes de terminar o livro ( tais objetivos só são claramente revelados no final ), portanto vou deixar para falar dessa crítica na resenha do segundo livro da série, que é quando esse motivo já vai ter sido explicado no livro, para não acabar fornecendo spoiler.



Trechos favoritos:

"Em algum lugar dentro de mim há uma pessoa misericordiosa e clemente. Em algum lugar há uma garota que tenta entender pelo que as pessoas estão passando, que aceita o fato de que as pessoas fazem coisas más e que o desespero leva-as a lugares mais escuros do que jamais puderam imaginar."

"Nós acreditamos nos atos simples de bravura, na coragem que leva uma pessoa a se levantar em defesa de outra."

"Em certas partes do mundo antigo, o gavião simbolizava o Sol. Quando fiz essa tatuagem, pensei que,se eu carregasse o Sol sempre comigo, não teria medo do escuro."

"Você não pode ficar totalmente sem medo, lembra? Afinal você ainda se importa com as coisas ao seu redor. Com sua vida."

"Quando nos livramos de uma coisa ruim, outra substitui."

Esse post it marca a minha cena favorita do livro, que toda hora eu leio, conseguem descobrir qual é pela sua posição? >_>
Algum fã de Divergente por ai? Qual sua facção?

You Might Also Like

2 comentários

  1. Oi!
    Eu gosto de divergente, mas não sou fã. Sinceramente não entendo pq as pessoas amam tanto, até acho o filme melhor que o livro.
    Minhas amigas me acham maluca, mas gosto é gosto...


    http://www.whoisllara.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com suas amigas euhuehuehuehueh xD

      Excluir

Flickr Images