Crescendo como Saumensch

Morte Súbita

segunda-feira, janeiro 13, 2014 Julia Pinheiro 4 Comments



Morte súbita foi o primeiro livro publicado pela grande J.K. Rowling depois do grande sucesso de Harry Potter. Aqui no Brasil, o livro saiu em 2012 pela editora Nova Fronteira. O trabalho que fizeram com o livro foi incrível em todos os pontos: a capa é linda e emborrachada, e todas as 501 páginas divididas em 7 partes e amareladas, com uma diagramação perfeita, e até as orelhas do livro são maiores.



O livro teve pouca divulgação, quando ele saiu, não tinha quase nada falando sobre o enredo da história, e muitos fãs de Harry Potter ficaram com medo de se decepcionar  com o livro já, que as expectativas com a escrita da J.K. Rowling é bem alta, e ainda teve muita gente falando mal do livro, porém, acho que de forma alguma Morte Súbita conseguiria atingir todos os fãs de Harry Potter, pois enquanto a saga atingia todo o público, de crianças a adultos, o livro em questão é muito mais voltado para o público adulto.



Morte súbita conta a história de um vilarejo chamado Pagford, onde a muito tempo sua paz foi perturbada pelo município vizinho chamado Yarvil, que comprou uma parte de uma grande e adorada propriedade de Pagford para fazer casas comunitárias ( um bairro que ficou conhecido como Fields ) e também alugou um prédio para montar uma clínica de reabilitação, e quem tinha que financiar tudo isso era sua vizinha, Pagford, e isso acabou dividindo sua população em uma briga política, onde de um lado tinham os que eram a favor de toda essa história, e os que eram contra.



 A história toda de fato começa com nada mais nada menos do que a morte súbita de Barry Fairbrother, que fazia parte do conselho do vilarejo e era o principal defensor de Fields, e com essa inesperada morte, o luto é breve, e pessoas de todo o vilarejo começam a surgir com diferentes motivações de ocupar essa cadeira vazia no conselho e defender o seu respectivo lado nessa briga política: ou se juntando a Howard Mollison, principal defensor das ideias contra Fields, ou continuar o legado de Barry.


Mas, como o livro conta a história de todo um vilarejo, temos muitos personagens e o foco entre eles vai alternando de acordo com cada capítulo. Temos ao todo 6 principais famílias: os Jawanda, os Price, os Fairbrother, os Weedon, os Mollison e os Wall, dentre outros personagens, cada um desempenhando um papel com diferentes graus de relevância.

Não vou falar muito dos personagens, pois todos eles a cada página me surpreendiam e eu acabava mudando de opinião constantemente sobre eles, mas posso dizer que os personagens são muito reais, e apesar do narrador ser onisciente, é muito fácil você perceber de qual personagem esta se tratando certa parte da narrativa por eles serem tão marcantes. Durante o livro você realmente os conhece, sente o que eles sentem, e os entende.

Meu marcador de páginas da época <3
O enredo do livro, diferente do que pode parecer, não fala só dessa disputa política, ou de como ela acaba afetando a todos de alguma forma, mas fala também dos muitos conflitos internos que acontecem nas mais diversas idades, mostra a busca de uma identidade durante a adolescência, o convívio com drogas, o aprisionamento da rotina, o presente indesejado, a infelicidade mascarada, o desejo de poder... enfim, o livro mostra o quanto a vida nua e crua, do jeito que é, e mostra de formas que muitas vezes esquecemos.


 Esse livro também me deu um belo de um tapa na cara no conceito "julgar as pessoas", pois praticamente todos os personagens são mal julgados, não só entre os outros personagens, como mal julgados pelo próprio leitor! Eu mesma, tive impressões muito erradas dos personagens, de alguns eu até sentia certo desgosto, mas conforme você mergulha na história e conhece um pouco do passado deles, essas pessoas não parecem tão terríveis assim, você vê que no fundo elas são frágeis, e infelizes, sem nenhum sonho a mais, parecem que vivem esperando que morram, o que me deu muita tristeza principalmente quanto a perspectiva da vida adulta.


O livro superou todas as minhas expectativas, dei 5 estrelas para ele no skoob, as 501 páginas passaram despercebidas, e eu gostaria muito de saber como prosseguiria a vida dos personagens caso eles tivessem mais páginas pra viver. Uma narrativa incrível: eu ri, eu chorei, eu tive pena, angústia, raiva... E achei que foi até bom essa história de não ter tido grandes sinopses de divulgação da história em si do livro ( nem na aba do livro tem aquelas mini sinopses ) pois o bom dele é que ele é surpreendente! Um dos melhores livros que eu já li, mas, não é um livro que eu indicaria para todo mundo, pois ele é muito pesado, e trata de assuntos muito fortes.

Essa é a última página do livro, e achei muito fofo o marketing utilizado pela international paper <3
Frases favoritas: 

"Escolher é algo perigoso: quando escolhemos, temos que abrir mão de todas as outras possibilidades."

"E foi a lembrança do riso que fez, enfim, as lágrimas brotarem dos seus olhos."

"Estava chorando porque pelo visto nunca mais ia voltar a rir."

"É estranho como a nossa cabeça pode saber o que o nosso coração se recusa a aceitar"

"Tinha um verdadeiro pavor de fazer confidências, porque temia que elas pudessem revelar o mundo                                                        de estranheza que vivia dentro dela."


Mas, se você acha que você tem estômago forte, não se deixe intimidar pelas 501 páginas, pois elas se tronam insignificantes durante a leitura. E caso você já tenha lido, o que achou do primeiro livro da minha querida J.K. Rowling para adultos? Quero saber suas opiniões pois sei que há muitas divergências quanto a esse livro.

You Might Also Like

4 comentários

  1. Li o livro na semana que lançou e não gostei tanto assim, acho que depois,talvez eu dê outra chance a ele

    ps: adorei o marcador

    Beijos,
    Lara

    ResponderExcluir
  2. No seu bookshelf você falou que não gostou! Eu até tinha desanimado D= Mas eu adorei! As vezes foi o momento que você leu também, porque é um livro muito pesado, e a política também enjoa muitos né? É um livro bem peculiar mesmo, confesso. Mas quem sabe um dia, em outra chance vocês se entendam, né Lara? rss
    Brigada!! Margaridas são lindas mesmo!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Eu desisti do livro. Cara, cheguei a pagina 100 e tava muiiiiito chato. Tentei continuar lendo, e entao cheguei na pagina 150... Nada mudou, tava muito chato! Kkk foi o primeiro livro q abandono :/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa... que pena! Mas é que o assunto em si abordado não é muito querido pelas pessoas mesmo, no caso a briga política. Mas devo confessar que demora a ficar interessante mesmo, pois é quando são tratados mais as questões pessoas e outros problemas. Que pena que não gostou... eu particularmente adorei ^^

      Excluir

Flickr Images