Crescendo como Saumensch

Alice no país das maravilhas e Alice através do espelho

domingo, dezembro 22, 2013 Julia Pinheiro 1 Comments


As histórias das peripécias de Alice foram escritas pelo matemático Charles Dodgson, sob o pseudônimo de Lewis Carroll contadas primeiramente em 1862 para as irmãs Liddel: Edite, Lorina e Alice (sua musa inspiradora de apenas 10 anos, na época) durante um passeio de barco.

 O primeiro titulo da obra foi Alice debaixo da terra, apenas dois anos mais tarde, quando Charles (ou Lewis) releu o livro que decidiu não só mudar o nome da história mais também acrescentar mais capítulos. Um ano depois o livro foi publicado pela primeira vez e só em 1871 que surgiu a continuação Alice através do espelho.



Há também uma enorme polêmica envolvendo Charles Didgson, onde o mesmo foi acusado de pedofilia por dar longos passeios a sós com crianças (inclusive as irmãs Liddel), gostar de tirar fotos ou desenhar meninas nuas (fazia isso com a permissão dos pais e só caso a criança não demostrasse constrangimento algum) e também por sua famosa frase: Gosto de crianças, exceto meninos.

Bom, pedófilo ou não, o livro, que nunca foi designado para crianças ou adultos, até hoje encanta centenas de pessoas das mais variadas faixas etárias, inclusive, na época, a Rainha Vitória da Inglaterra, mandou chamar pessoalmente Lewis Carrol para elogiar seu livro.

 Porém, mesmo o livro não tendo uma idade público em específico, há quem se engane a dizer que é um livro infantil, mas, apesar de conquistar as crianças, o livro é cheio de sátiras e críticas à época vivida por Lewis e seu cotidiano, um bom exemplo são os muitos poemas contidos nos livros que não tem o menor sentido que fazem uma crítica aos poemas maçantes que as crianças inglesas do século XIX eram obrigadas a decorar.



Essa minha edição reúne as duas obras de Carroll em uma edição de bolso de luxo da editora Zahar, de capa dura e com as ilustrações originais de John Tenniel. O livro tem ao todo 315 páginas amareladas, sendo dividido em dois: Alice no pais das maravilhas e Alice através do espelho, tendo 149 e 166 páginas cada parte respectivamente.

 E eu simplesmente amo essa edição, na minha opinião, uma das melhores edições brasileiras desse clássico, e é uma edição muito em barata pelo que é: adquiri a minha do estande da companhia das letras na bienal desse ano por 19 reais, e a faixa de preço nas livrarias comuns é a mesma.

Como o livro é bem diferente dos filmes (como de costume) farei uma breve resenha dos dois livros de Alice (no meu caso, um livro só, mas duas histórias diferentes):


Em Alice no Pais das Maravilhas, ocorrem os fatos mais comuns e mais parecidos com as adaptações (principalmente o filme de animação da Disney): 



Alice persegue um coelho que corre apressado segurando um relógio de bolso e acaba caindo "infinitamente" em uma toca, e vai parar em uma sala, onde depois de comer um bolinho e crescer e tomar uma bebida e diminuir, diversas vezes, acaba se afogando (literalmente) nas próprias lágrimas que chorou quando antes era grande.



 Acaba dando em uma ilha onde participa de uma corrida com outros animais falantes para tentar se secar. Vai parar na casa do Coelho, depois para um jardim onde encontra com a Lagarta e tem uma breve discussão sobre a identidade de Alice, e chega a casa da Duquesa, onde encontra com o gato de Cheshire, e toma conta de um bebê que se transforma em um porco,e acaba parando no chá da Lebre de Março e do Chapeleiro Maluco.



 Depois do chá, encontra-se com os baralhos pintando as rosas brancas de vermelho, e é chamada para jogar croqué com a Rainha de Copas, que manda Alice ouvir uma história de uma Tartaruga Falsa e enfim, é levada a um tribunal, onde esta em julgamento quem roubou as tortas da rainha.

É uma história que não é muito interligada, mas é justamente essa falta de nexo que transforma em uma história totalmente agradável, principalmente pela forma como ela é contada.


Em Alice através do espelho e o que Alice encontrou por lá:



Depois de muito se indagar sobre como deve ser sua própria casa do outro lado do espelho, Alice resolve simplesmente travessa-lo,e acaba dando de cara com uma sala muito igual aquela em que acabou de sair, com o pequeno detalhe de há espalhadas por toda parte peças de xadrez vivas, que conversam entre si e que não pode enxergar Alice, que depois de olhar a casa, resolve sair e se depara com um jardim onde as flores são vivas, e acaba se encontrando com a Rainha Vermelha que explica que Alice esta em um tabuleiro de xadrez, e que se ela quer se tornar rainha deve prosseguir alguns passos.



E pelo resto do livro Alice deve ir as respectivas casas ordenadas pela rainha para se tornar uma rainha também. Durante esse processo Alice conhece Tweedledum e Tweedledee, Humpty Dumpty, o Leão e o Unicórnio, o Cavaleiro Branco e a Rainha Branca, e enfim, vira uma rainha, para então despertar de um sonho que não sabe quem sonhou.

Essa história, apesar de ser tão cheia de disparates quando a outra, já tem uma ligação mais visível entre os fatos, e eu particularmente gostei mais dessa.



Mesmo sendo um livro cheio de absurdos da pra refletir bastante sobre a história, principalmente, em quanto a mais pura inocência pode ser tão divertida, mesmo não fazendo nenhum sentido lógico. Tenho muita vontade de ler esse livro de novo em inglês, pois Charles Dodgson era muito inteligente e muito bom em lógica (o que é uma ironia, visto que Alice é um gênero literário nonsense - do inglês sem sentido ) o que deixou muitos trocadilhos e sátiras escondidos nas histórias que dizem só serem perceptíveis em inglês.

Eu adorei as duas histórias mesmo elas sendo completamente diferentes dos filmes! Elas me surpreenderam de um jeito muito bom. Foi uma leitura gostosa, divertida e leve, li o livro todo em dois dias (um dia para cada parte do livro). Se tem uma palavra que descreve ambos os livros essa palavra é encantador. Simplesmente, absurdamente encantador. Foi maravilhoso mergulhar nas aventuras de Alice e presenciar tantos disparates pela visão inocente de uma criança. Ouso dizer que a Alice dos livros é muito mais encantadora do que a Alice das adaptações cinematográficas.



Frases Favoritas:

"Pois, vejam bem, havia acontecido tanta coisa esquisita ultimamente que Alice tinha começado a pensar que raríssimas coisas eram realmente impossíveis."

"Receio não poder me explicar, porque não sou eu mesma, entende?"

"- Mas não quero me meter com gente louca.
-Oh! É inevitável, somos todos loucos aqui. Eu sou louco. Você é louca."

"Esta ouvindo a neve contra as vidraças, Kitty? Soa tão agradável e suave! Como se alguém estivesse beijando a janela toda do lado de fora. Será que a neve ama as árvores e os campos que beija tão docemente? Depois ela os agasalha, sabe, com um manto branco; e talvez diga: 'durmam, meus queridos, até o verão voltar'. E quando eles despertam no verão, Kitty, se vestem todos de verde, e dançam...onde quer que o vento sopre..."

You Might Also Like

1 comentários

  1. oi! conheci seu blog a alguns dias e achei ele mt fofinho, esta interessada em fazer parceria com o meu (whoisllara.com)? se sim mande um email para whoisllara@gmail.com.

    Sucesso!

    ResponderExcluir

Flickr Images