Crescendo como Saumensch

Quem é você, Alasca?

sábado, novembro 30, 2013 Julia Pinheiro 3 Comments



Quem é você Alasca?  foi o primeiro livro do John Green  a ser publicado. O livro tem 226 páginas, amareladas e bem grossinhas, e a capa da minha edição ( essa da foto ) é feita de um material diferente, emborrachado, bem gostoso de sentir. No Brasil, o livro tem duas capas diferentes ( uma mais bonita que a outra ), ambas publicadas pela editora Martins Fontes.



Apesar de eu ter terminado de ler o livro agora, minha história com Quem é você, Alasca? é antiga. Achei uma foto do livro a alguns anos no tumblr e me chamou muito atenção, não só pela capa, mas pelo que estava escrito nela, e só de lê-la, eu já sabia que eu ia gostar desse livro, que na minha opinião, foi o melhor livro do nosso querido John Green. Sim! Achei melhor que A culpa é das estrelas. Podem me bater por isso, mas é o que eu achei, diferente de muitas críticas negativas alheias que dizem que o John ficou "devendo nos outros livros".


O livro é dividido em duas partes: "antes" e "depois", no caso, do climax da história, que só tem como você descobrir quando você chega nele, de tão surpreendente que é. Na verdade, depois que li o livro, percebi que tinham muitas ( muitas mesmo! ) pistas sobre o que é o climax, mas a história te envolve de uma forma tão profunda, que agente nem percebe essas pistas.


Quem narra Quem é você Alasca? é Miles Halter, um garoto do ensino médio que é viciado em Últimas Palavras. E é por causa de uma em especial que o livro, e a vida de Miles, tomam seu rumo. São as últimas palavras de  Françóis Rabelais ( "Saio em busca de um Grande Talvez" ) que fazem Miles buscar seu próprio Grande Talvez, e pra isso ele decide deixar sua vida na Flórida, onde não tinha amigos e aparentemente nenhuma vida social, e ir para o colégio interno Culver Creek.

Um dos melhores trechos do livro.
Em Culver Creek, a situação muda logo de cara para Miles, que faz amizade com seu colega de quarto Chip ( mais conhecido como Coronel ) que o introduz a uma turminha que é bem diferente do que ele esta acostumado. A turma do Coronel, formada basicamente por ele, Takumi e Alasca, é especialista em pregar peças, adora um cigarro e uma bebida, é o tipo de gente que "vive loucamente". Eles recebem Miles de braços abertos e logo, ele já se sente parte não só dessa turma, mas parte de Alguma Coisa.


 E no decorrer dos dias a gente vê a sua amizade com o Coronel se intensificando e seus sentimentos pela Alasca fluindo como um carrinho de montanha-russa. Porque como Miles mesmo diz: se as pessoas fossem chuva, eu seria garoa e ela, um furação.


Alasca vai da felicidade extrema para o abismo da irritação em três segundos, vive tudo tão intensamente que fica difícil para Miles a acompanhar e, principalmente, entender o seu primeiro amor, Alasca Young.


E assim, o livro prossegue de maneira leve e descontraída. Com Miles estudando, tentando compreender Alasca, se divertindo com o Coronel, tendo várias "primeiras experiências"... enfim, finalmente, vivendo, no seu mais puro sentido, até a segunda parte do livro, o "depois", quando a gente descobre não só o climáx, mas também o sentido das frases da capa do livro ( "O primeiro amigo. A primeira garota. As últimas palavras." ) e do que realmente se trata o livro.

Mas, o que a gente não descobre, é a resposta para a principal pergunta do livro, porque acho que no final fazemos essa mesma pergunta sobre qualquer um, já que nunca sabemos se conhecemos ou não as pessoas de verdade. E com isso, no final do livro a gente se pega repetindo essa pergunta sem querer: Afinal, quem é você, Alasca?


Foi um livro divertido e engraçado de se ler, e nenhum pouco massante, a leitura fluía super bem e foi muito prazerosa, tomada por risadas, mas também, banhada em lágrimas. O livro fala sobre a vida de uma maneira geral: dos medos, dos planos, do futuro, do presente, das memórias, dos relacionamentos e desse sentimento de viver intensamente, esse sentimento de ser intenso. Foi tocante e filosófico, mesmo quando não era nenhum dos dois, e faz a gente pensar: será que não esta na hora da gente buscar nosso Grande Talvez?

Meus livros do John Green <3
Trechos favoritos:

"Imaginar esse futuro é o que nos impulsiona para frente, mas nunca fazemos nada. Simplesmente usamos o futuro para escapar do presente."

"- As vezes, não entendo você.
- Você nunca me entende. Essa é a graça."

"Eu sou corajosa, mas não quando interessa."

"Chega uma hora em que percebemos que nossos pais não podem salvar a si mesmos nem a nós, que todos que atravessam as águas do tempo acabam sendo dragados pela ressaca - que em suma, todos nós vamos."

"Quanto tempo é um instante? Um segundo? Dez? Mas que diabos significa "instantâneo"? Nada é instantâneo. Arroz instantâneo leva cinco minutos, pudim instantâneo uma hora.Duvido que um instante de dor intensa pareça instantâneo."

"Eu a odiava por ter me deixado naquela noite. E odiava a mim mesmo por tê-la deixado ir embora, porque, se eu tivesse sido suficiente, ela não teria querido ir embora. Simplesmente teria se deitado comigo, conversado e chorado. E eu a teria ouvido e teria beijado as lágrimas que caíam dos seus olhos."

"Sempre me causava espanto perceber que eu não era a única pessoa no mundo que pensava e sentia essas coisas estranhas e horrorosas."

~ Épica ( aparecendo de novo por aqui ):

 "Se as pessoas fossem chuva, eu seria garoa e ela, um furação." 

You Might Also Like

3 comentários

  1. Seguindo, adorei a resenha :)
    http://os-jovens-leitores.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Muito obrigada!
    Já estou seguindo de volta, não esqueça de curtir a página do blog no facebook, beijos!

    ResponderExcluir
  3. Esse livro é perfeito e muito melhor que todos , ele fala sobre algo que a maioria tem medo , e quando ela chega, aprendemos muito.
    Também considero melhor que a Culpa é Das Estrelas!

    ResponderExcluir

Flickr Images