Crescendo como Saumensch

Desventuras em Série

domingo, outubro 13, 2013 Julia Pinheiro 0 Comments


Desventuras em Série é uma série que contém 13 livros escritos por Daniel Handler sob o pseudônimo de Lemony Snicket,e teve o livro primeiro da série publicado no Brasil em 2004.

A série conta a história dos irmãos Baudelaire, três crianças muito inteligentes, são elas: Violet, a mais velha dentre os irmãos, que inicia a série com 14 anos e tem o dom de inventar as coisas; Klaus, que inicia a série com 12 anos e é um pesquisador nato e amante de livros e Sunny, que é descrita como um bebê, mas que tem a idade estipulada de 3 anos, e gosta de morder as coisas (um dom que ao decorrer do livro sempre se mostra bem útil).

O primeiro livro já começa com a notícia da morte dos pais dos irmãos Baudelaire num incêndio que destruiu toda sua casa, e logo eles são encaminhados para um tutor, que no caso, é nada mais nada menos do que o pérfido Conde Olaf, que de ante-mão, na aba do livro já se tem o conhecimento de que ele é o arqui-inimigo das crianças, e só esta interessado na enorme fortuna que os Baudelaire pais deixaram para seus filhos.

Ao decorrer dos livros você acaba percebendo uma certa regularidade no enredo da trama, onde em cada livro os irmãos Baudelaire estão sob a guarda de um tutor diferente, passando por uma série de infortúnios, em diferentes lugares, onde são sempre perseguidos pelo incansável Conde Olaf que se utiliza de diversos disfarces para ter a guarda das crianças de volta e assim ter sua fortuna.



Confesso que já no quarto livro começo a desanimar achando que os próximos nove livros terão basicamente o mesmo contexto, mas o quarto livro é tão agoniante que leio ele esquecendo essa preocupação e já no livro cinco um mistério acaba por romper com toda essa regularidade destruindo todas as suas certezas sobre o verdadeiro contexto do livro.

A série é descrita como destinada à crianças, porém depois do livro sete já acredito que essa não seria uma classificação muito adequada. E não digo isso só pela assombrosa quantidade de infortúnios vividas por Violet, Klaus e Sunny, mas também porque a partir desse livro começa uma discussão muito complexa envolvendo valores morais sobre o que é certo e o que é errado, o que é uma pessoa má e o que é uma pessoa boa, e confesso que depois de ler o livro tive que reavaliar muitos dos meus conceitos, pois a complexidade do assunto e a imparcialidade do escritor ao tentar diferenciar uma pessoa má de uma pessoa boa, faz com que você tenha um conflito de ideias muito grande, que acredito não ser assim tão apropriado para as crianças.

Não tem como eu descrever sobre o que exatamente é o livro, por conta de, ao decorrer da série, a história tomar rumos diferentes do esperado, e descrever esses rumos seria um spoiller grande de mais. Por isso só posso falar que a série é cercada de mistérios e que seu fim é totalmente agonizante, já que termina com cliffhanger que definitivamente não era esperado.

Agora, sobre a escrita de Lemony...
A narração da série é totalmente inovadora, posso não tem um universo literário tão amplo para dar esse tipo de opinião, mas acho que dificilmente algum outro escritor escreveria do jeito tão "informal" que Lemony Snicket escreve.

Tipos de informalidades da escrita de Lemony Snicket:
  • Repetir a palavra nunca por uma página e meia
  • Pintar duas páginas de preto para "retratar" um lugar muito escuro
  • Repetir a página do livro que fala sobre déjà-vu para causar um déjà-vu


Ao decorrer da trama, ele da um significado um tanto específico e informal para certas palavras usadas, como no trecho a seguir:  [..]arrondissement vizinho, uma palavra que aqui quer dizer “lugar onde alguma coisa nasce”.

No decorrer do livro Snicket se utiliza de várias metáforas para explicar as coisas e as vezes acaba explicando coisas totalmente alheias para só assim começar o desenrolar da história (como quando ele explica todo o ciclo da água para só depois fazer uma associação aos Baudelaire e assim começar a história). Também tem o fato de constantemente, por algum motivo, ele se desviar da história das crianças para discutir uma certa opinião, ou para contar uma certa coisa que lhe aconteceu, o que faz com que ele se inclua na história várias vezes.

A relação de Lemony Snicket com a trama é muito confusa e misteriosa, pois apesar dos fatos vividos pelas crianças durante a série serem absurdos, ele insiste em afirmar que é uma história verdadeira e que seu dever é documenta-la, e em diversas passagens ele se inclui como personagem da história, mas essas passagens são tão confusas e vagas que a "realidade" acaba se misturando com a "ficção" causando uma sensação muito estranha, e quase que você acredita que esta lendo uma pesquisa sobre fatos verídicos (apesar disso ser impossível por conta da total melodramaturgia exagerada da série).

Os livros não só tem uma regularidade no enredo como também no seu formato. Todos os livros são dedicados a Beatrice, o amor da vida de Lemony, e em todos os livros Snicket tenta fazer com que o leitor desista de ler a série, nos prevenindo dos infortúnios que vamos ler.

Cada livro tem 13 capítulos ( com exceção do último livro que possui um capitulo extra ) em cada qual, 12 são iniciados com uma pequena ilustração e em cada livro tem outras 3 ilustrações maiores, uma na pagina ao lado do capitulo um, outra pelo meio do livro e a última ao lado da última pagina de história de cada livro. E também, no final de todos os 12 primeiros livros tem uma carta ao editor, na qual Lemony explica onde deverá ser encontrado o manuscrito do próximo livro.



Eu realmente mergulhei de cabeça na série, e apesar de no começo ter parecido um pouco exaustivo, por se tratar de 13 livros, quando terminei o último fiquei com saudades dos personagens, e meus dias passaram a fazer menos sentido quando eu percebia que não ia ter mais nenhuma aventura dos irmãos Baudelaire para acompanhar, sem contar que o final é tão vago, que faz você ficar dias e dias imaginando possíveis continuações para o fim de O Fim ( que é o título do último livro ), o que quase me levou a loucura.



Foi uma série que eu realmente amei e a qual eu fiquei muito apegada, porém não a recomendo a todos, pois Violet, Klaus e Sunny passam por coisas tão terríveis que muitas das pessoas devem desistir de ler a série conforme o decorrer dos livros por pena das crianças, e os livros também são dotados de um leve toque de humor negro, não é nada muito absurdo, e você pode ter ideia do que vai encontrar dentro do livro só de ler sua contracapa e sua dedicatória. Além do mais, são 13 livros, que não são tão baratos assim, cada um custa em média trinta reais, o que da um total de mais de 450 reais pela série toda, o que faz do box um investimento muito mais barato ( custa certa de 200 reais ) porém, um investimento ainda muito arriscado caso você não goste da série.

Uma das minhas dedicatórias favoritas.

Box que eu ganhei, mas sei que custou 190 reais e ainda veio com outro livro do Lemony Sicket, intitulado em Quem poderia ser a uma hora dessas?
Os meus livros favoritos da série foram: Inferno no Colégio Interno (livro 5), O Elevador Ersatz (livro 6) e O Escorregador de Gelo (livro 10)



Os mais angustiantes, na minha opinião, foram : Serraria Baixo-Astral (livro 4), A Cidade Sinistra dos Corvos (livro 7) e O Hospital Hostil (livro 8)



Minha capa favorita: A gruta Gorgônea (livro 11)



Não tem como eu escolher só uma frase preferida já que se trata de treze livros, então procurei ser o mais seletiva que pude para escolher só 7 :

"As vezes as palavras não são o bastante."(livro 7)

"Já disseram que o mundo é uma lagoa calma, e que toda vez que alguém faz uma coisa, por mais ínfima que seja, é como se uma pedra caísse nessa lagoa e espalhasse círculos de ondulações cada vez mais distantes, até que o mundo inteiro ficasse alterado por uma minúscula ação." (livro 12 )

"Podemos pedir que alguém diga 'Você é suficientemente nobre' e nos lembre das nossas boas qualidades quando já as esquecemos, ou as colocamos em dúvida." (livro 12)

"[...]como se um único instante fosse um enorme recipiente capaz de conter incontáveis segredos protegidos e em segurança[...]" (livro 12)

"Quando você pensa em alguma coisa, isso acrescenta um pouquinho de peso ao seu caminhar, e, à medida que pensa em mais e mais coisas, você corre o risco de se sentir mais e mais pesado, até ficar tão sobrecarregado que não consegue mais dar nenhum passo[...]" (livro 13)

"A noite tem mil olhos
E o dia apenas um
Contudo, a luz do mundo radiante morre com o Sol morrente.

A mente tem mil olhos
O coração apenas um
Porém, a luz de uma vida inteira morre quando é feito o amor." (livro 13)

"Não se pode ficar sentado para sempre resolvendo os mistérios da própria história e, não importa quanto se lê, a história inteira jamais poderá ser contada." (livro 13)

You Might Also Like

0 comentários

Flickr Images