Crescendo como Saumensch

A Esperança

domingo, outubro 27, 2013 Julia Pinheiro 0 Comments


A Esperança é o terceiro e último livro da trilogia de Jogos Vorazes, portanto, não recomendo a leitura dessa resenha caso não tenha lido o primeiro livro, Jogos Vorazes e o segundo livro, Em Chamas ( resenha aqui ).



O terceiro livro começa tão confuso quanto o segundo. Agora que o distrito 12 não existe mais, que Peeta esta nas mãos da Capital, que Haymitch traiu sua confiança, Katniss se vê sozinha, tendo como únicas pessoas de confiança Finnick, Gale e a já crescida Prim, e tendo que aprender a confiar e se adaptar ao misterioso Distrito 13, que depois de renascer das cinzas, lidera com fervor a revolução que domina toda Panem.



Depois de sobreviver duas vezes os temidos Jogos Vorazes , Katniss está sob os cuidados do Distrito 13, porém todos os luxos e cuidados oferecidos por eles tem um preço: ela tem que aceitar ser o rosto da revolução, ela tem que ser o Tordo. Mas qual será o preço que isso vai lhe custar?



No começo o papel de Katniss como o Tordo é meramente visual, literalmente a cara da revolução. Tudo parece ser uma mentira, tudo muito bem encenado e preparado, lembrando muito os caprichos e tarefas que era submetida durante a preparação dos Jogos, tudo resumido a um reality show mortal. Porém,conforme o tempo passa e a guerra segue seu rumo, ela se da conta de que as coisas não são tão fáceis quanto parecem. Tem gente morrendo nos Distritos, tem gente morrendo na Capital, tem gente matando em toda parte, mas tudo é parte da revolução, tudo é parte de sua escolha de ser o Tordo.

Essas frases de efeito sempre me deixando arrepiada.
Mais uma vez Katniss, tão pressionada que chega a loucura ( de verdade ), tem de lidar com a decisão de matar pra não morrer, ela agora esta praticamente de volta aos Jogos, onde a "arena" é feita para destruí-la, onde os tributos são todos os cidadãos de Panem, resta saber quantos vencedores esse jogo pode ter, e quais serão eles.



Devo admitir que a leitura desse último volume não foi tão leve quanto a dos outros, e eu não falo só pelo caráter pesado que a guerra acabou trazendo pro livro ( muito sangue, muitas mortes, etc ), mas também pela confusão que foi na hora da ação! Achei a narrativa bem enrolada nas partes cruciais da guerra e tive que voltar váriaaaaaaas vezes pra me certificar do que estava lendo, e eu não gosto quando isso acontece, é como se eu estivesse vendo um filme em pausas.



Porém, a história é impressionante, e fora isso, eu gostei bastante do livro, mas meu favorito ainda é Em Chamas. Foi emocionante ver o desenrolar dos diversos e amáveis ships do livro, e o final dessa sufocante guerra e dessa sufocante vida que os anteriores a ela tinham que viver. O final foi surpreendente pra mim e muito emocionante, quando terminei de ler o livro minha vida simplesmente não fazia sentido (e ainda não faz!). Vou sentir muita falta dessa luta pela liberdade e dessa Garota em Chamas.



Frases favoritas:

"-Como é que você suporta?
- Eu não suporto. Eu me arrasto dos pesadelos todas as manhãs e descubro que não há alívio em estar acordado"

"Morta, mas sem permissão pra morrer. Viva, mas totalmente morta."


"Mas o pensamento em prol do coletivo normalmente possui vida curta. Somos seres volúveis e idiotas com uma péssima capacidade para lembrar das coisas e com uma enorme volúpia pela autodestruição."

"Necessito é do dente-de-leão na primavera. Do amarelo vívido que significa renascimento ao invés de destruição. Da promessa de que a vida pode prosseguir, independentemente do quão insuportáveis foram nossas perdas. Que ela pode voltar a ser boa."

~Épica:

"-Você me ama. Verdadeiro ou falso?"
- Verdadeiro."

You Might Also Like

0 comentários

Flickr Images